(Esse texto foi originalmente publicado há um tempo, mas nada mudou, aliás, talvez tenha piorado com a chegada da Nathália, minha nora, acrescentei um item…)

Meu Deus do Céu! Esse menino não para! Ele é ligado na tomada!

Essa menina tá com a gota serena hoje! Gente, a pilha dessa menina não acaba?

Como eles não cansam? Vai cair daí! Vai se machucar! Christiane, esses meninos não têm juízo? Como assim eles jogam pingue-pongue na sua mesa de jantar?

Sim, é verdade, ouço quase que diariamente todas essas frases sobre minhas crias. Não sei se os meus são realmente muito ativos ou se os outros que são muito parados. O fato é que acho bom (algumas vezes fico cansada, quase quero manda-los pra Nárnia, assim, descansaria), menino quieto é menino doente. Bom mesmo é ter a casa cheia de vida, de risadas, de gritos, de barulho de brinquedo caindo no chão, de cachorro latindo atrás deles, de bola batendo na parede, de bicicleta precisando de graxa batendo nos móveis! Anjo-da-guarda trabalha duro por aqui! Quando eles dormem sinto alívio e depois saudade (mãe é tudo assim mesmo).

Sorte que sei que não estou só na labuta! Tem vários do tipo “Menino Maluquinho” por aí, com asas nos pés e o olho maior que a barriga. Escrito por Ziraldo e publicado pela Melhoramentos é um clássico delicioso e bem fácil de ler.

E o Max? Pobre Max! Fez travessura e foi condenado a ir para cama sem jantar…um horror! Nem tão pobre assim, gente. Ele aproveitou a oportunidade e viajou para bem longe, para “Onde Vivem os Monstros” e foi ser rei. Uma obra prima de Maurice Sendak, da editora Cosac Naify (muito melhor que o filme).

Todos esses são personagens sem muito juízo! Mas quem perdeu mesmo o juízo e ficou com uns, ou melhor, vários parafusos a menos, foi o menino do “Cadê o juízo do menino” de Tino Freitas e Mariana Massarani da Editora Manati. Quando esse livro chegou aqui em casa foi um alívio! Sabem por que? Porque finalmente um livro sucedeu o “Onde vivem os monstros” que Samuel me fez ler até ele decorar cada página e aí de mim se ousasse pular uma palavra! Trégua para Max. É a vez do menino sem juízo que come maçã com manteiga e penteia o cabelo com escova de dentes. O livro ainda traz uma deliciosa brincadeira de encontrar parafusos perdidos nas cenas, similar ao “Onde está Wally?”

Tem vários outros personagens assim Alice, Emília, Dorothy, Harry, Peter Pan, Cebolinha, Cacão… Trouxe para vocês só uma pequena amostra de que, nesse caso, é comprovado que a arte imita a vida e… Peraí, gente! Ouviram? Olha lá! Samuel, desce daí! Lelê, cuidado! Alguém acode essas crianças aí!!!